Alguns erros na hora de tomar medicamentos

Você sabia que existem alimentos, bebidas e alguns hábitos errôneos que podem mudar a forma de absorção de alguns medicamentos? Podem ser coisas simples, que passam despercebidas, mas que acabam tendo grande impacto na eficiência dos remédios. Desde 2009 a Anvisa exige que todos os remédios devem ser acompanhados pela bula do paciente, além da bula técnica já comum nos produtos.

Confira alguns cuidados que você deve ter na hora de ingerir medicamentos e o porquê:

Efervescentes/antiácidos

É comum tomar efervescentes enquanto ele ainda está borbulhando. Inclusive, acredita-se que ele somente tem eficácia quando ingerido dessa forma, mas a verdade é que a maneira correta de tomá-lo é no momento em que a gaseificação termina e o produto é totalmente dissolvido na água, podendo assim, ser aproveitado por completo. Quando os antiácidos são usados em paralelo com outros medicamentos, pode interferir na absorção, para mais ou para menos, pois muitos remédios precisam da acidez gástrica para fazerem o efeito esperado. 

A composição dos antiácidos pode conter alumínio, que quando em contato com o citrato de cálcio, causa uma reação tóxica no sangue, prejudicial principalmente aos rins, que podem ter seu funcionamento afetado ou até mesmo consequências mais graves.

 

Antibióticos e medicação fora do horário

Um dos maiores erros na hora de tomar antibióticos é administrar a medicação em horários errados: os horários determinados para ingestão indicam a duração do medicamento no organismo. Ao final de cada intervalo, eles são absorvidos ou excretados por completo, e quando esse período acaba, eles deixam de fazer efeito. Com os efeitos do antibiótico minimizados, as bactérias podem ter sua ação intensificada no corpo, podendo criar uma certa resistência ao medicamento. 

Tomar antidiabéticos fora do horário também pode implicar no aumento ou diminuição de açúcar no sangue, podendo resultar até mesmo em coma. 

Partir comprimidos ao meio ou triturá-lo

 

Algumas pessoas têm o hábito de cortar os comprimidos ao meio ou triturá-los para uma ingestão mais fácil, porém, ao fazer isso, pode-se prejudicar o seu efeito, diminuindo sua eficácia, tornando a absorção mais rápida do que deveria, podendo, em alguns casos, levar à intoxicação. Além disso, a dosagem correta pode ser perdida ao parti-lo. Os comprimidos que podem ser divididos ao meio, já apresentam uma marcação própria para facilitar.

 

Ingestão de medicamentos com outros líquidos (além da água)

Você sabia que alguns líquidos podem reagir com os componentes do seu medicamento e causar reações adversas, além de diminuir ou potencializar seus efeitos? Deixe os sucos, leite, refrigerante, chás ou café de lado e tome seu remédio sempre com água.

 

Vale reforçar que não se deve misturar remédios com bebidas alcoólicas, principalmente no momento da ingestão. O álcool pode potencializar ou neutralizar efeitos, além de ativar enzimas que transformam o remédio em substâncias tóxicas para o organismo.

Ingestão de comprimidos a seco

Não tomar água ao ingerir comprimidos pode causar a perda parcial da dose da medicação que passa a ser absorvida quando está retida parcialmente no esôfago. Esta retenção pode causar consequências mais graves quando algum componente pode causar a perfuração do órgão, como é o caso específico do alendronato, usado no tratamento da osteoporose.

 

Retirar o conteúdo da cápsula

As cápsulas que envolvem os medicamentos servem para que o remédio possa agir de forma lenta, garantindo sua eficácia, além de proteger a mucosa da boca e do esôfago. O hábito que alguns têm de retirar o conteúdo de dentro das cápsulas pode gerar consequências como vômito, esofagite e dor no tórax.

 

Ingestão de medicamentos em gotas sem água

Ao invés de pingar na colher, ou diretamente na língua, recomenda-se diluir os medicamentos em gotas na água – caso seja diluído em sucos ou outras bebidas, o remédio pode perder sua eficácia.

 

Utilização correta de cremes e pomadas

Geralmente ao passar cremes e pomadas, o produto pode entrar em contato com a roupa do corpo ou com a roupa de cama, portanto, é indicado passá-lo no local e esperar cerca de 30 minutos antes de se vestir ou deitar para dormir, para que a pele os absorva corretamente.

 

Interação de medicamentos com alimentos

A forma mais segura de se tomar medicamentos é seguindo as indicações da bula ou do seu médico. Alguns remédios, por exemplo, precisam ser tomados em jejum por necessitar do ambiente mais ácido do estômago, enquanto outros agem de forma menos agressiva no organismo quando há a presença de alimentos. Alguns alimentos podem interagir com os medicamentos de maneira prejudicial, formando um complexo que o corpo não consegue digerir, resultando na diminuição ou perda total da sua eficiência.

 

Interações de medicamentos com o anticoncepcional

A interação de alguns medicamentos com o anticoncepcional não causa consequências muito graves. O que pode ocorrer é que o AC pode tanto ter sua eficácia reduzida quanto reduzir a ação de outros remédios.

 

Antibióticos, remédios para micose, candidíase, epilepsia e tratamento de tuberculose podem reduzir a eficácia do anticoncepcional, enquanto a aspirina, AAS ou calmantes podem ter o seu efeito reduzido por conta do AC, e potencializar a ação do diazepam, cafeína, corticoides e de alguns antidepressivos.

 

Os medicamentos demoram anos para serem desenvolvidos, testados e aprovados, a bula contém todas as informações corretas para que os remédios ajam com eficácia no organismo. Siga as recomendações da bula e do seu médico sempre!

Deixe uma resposta